Marcação de Consultas:
(21) 2720-2090 / 3031-1718 / 98778-6239 whatsapp
Central de Atendimento:
(21) 3031-1700
PRONTO ATENDIMENTO:
ADULTO 24 HORAS

EXAMES

ASTERIOGRAFIA


O que é?
A arteriografia é um método de diagnóstico radiológico minimamente invasivo que procura visualizar a parede das artérias focalizadas, para estudar as doenças arteriais ou doenças com importante participação arterial. Este exame exige que seja injetado um contraste rádio-opaco no interior das artérias, para permitir a visualização do vaso sanguíneo em causa. Se houver uma obstrução (entupimento) completa de uma artéria, o contraste não passa além dela e, assim, não permite observar a extensão da lesão, nem avaliar a parede da parte da artéria que se segue à obstrução.

Quais são as indicações para se fazer uma arteriografia?
A arteriografia pode ser um procedimento eletivo ou de urgência/emergência. De maneira eletiva, a arteriografia pode ser usada para ajudar no diagnóstico e avaliação de malformações arteriais, aneurismas ou aterosclerose em diversos territórios orgânicos, como a aorta e artérias periféricas (mesentéricas, renais e dos membros inferiores). Como exame de urgência/emergência a arteriografia é indicada para diagnosticar doenças agudas que podem acometer as artérias, como dissecção aguda, alguns acidentes vasculares cerebrais ou embolias (coágulos provenientes de locais distantes, que entopem as artérias) ou tromboses (formação de um coágulo ou placas de gordura nas paredes da artéria).

Como se preparar para a arteriografia?
- No dia do exame, é necessário que um familiar o acompanhe durante o procedimento.
- Deve ser observado um jejum de 6 a 8 horas.
- Apenas os anticoagulantes orais (pelo risco de sangramento) e a metformina (que tem interação negativa com o contraste) devem ser suspensos alguns dias antes, conforme orientação do médico. Os demais medicamentos não precisam ser suspensos, mas o médico deve ser informado de seu uso.
- Pacientes alérgicos precisam fazer um tratamento prévio, por causa do contraste.
- Pacientes com disfunção renal merecem cuidados a serem definidos pelo médico, em vista da utilização do contraste.
- Pacientes renais crônicos devem fazer diálise no dia que antecede o exame.

Como o exame é realizado?
Para a realização do exame deve-se conseguir acesso ao espaço intravascular de uma artéria, obtido através de uma punção. Um fino tubo esterilizado, flexível e de pequeno calibre (cateter) é introduzido, geralmente numa artéria da virilha, onde ela se localiza superficialmente e pode ser comprimida com mais facilidade, quando da retirada do cateter. Artérias de outras áreas do corpo também podem ser utilizadas para introduzir o cateter, tais como o braço, por exemplo. Esse cateter é direcionado ao local desejado com a ajuda de um aparelho especial que permite a visualização dele num écran e quando estiver posicionado no local desejado um contraste rádio-opaco é injetado, para obter imagens do sistema arterial regional. Normalmente o paciente estará deitado numa maca e receberá um medicamento sedativo, para ajudá-lo a se relaxar. O médico aplicará um anestésico local na área por onde introduzirá o cateter. O aparelho que permitirá a visualização do cateter e seu posicionamento chama-se fluoroscópio (aparelho especial de Raios-X). Imediatamente após o contraste ser injetado serão feitos vários filmes, para estudar os vasos envolvidos. O paciente deve permanecer imóvel enquanto as imagens estiverem sendo tomadas. Terminado o procedimento, o cateter será removido. Se a angiografia foi realizada em uma Day Clinic (hospital dia) o paciente deverá permanecer em observação por algumas horas e depois de liberado necessitará de alguém que o acompanhe na volta para casa, de carro. Em muitos casos o paciente estará internado e o exame se realizará no hospital.

Quais são os riscos do exame?
Os riscos mais comuns da arteriografia são reações alérgicas ao contraste e sangramento no local da punção. Com menor frequência podem ocorrer queda da pressão arterial e alterações renais devidas ao contraste.